O Povo News

Teixeira de Freitas tem predomínio de população parda, segundo o Censo 2022

Redação/Opovonews

 

A maior parte da população teixeirense é parda (61,7%), seguida por brancos (22,8%), pretos (14,9%), indígenas (0,4%) e amarelos (0,2%).

Em 2022, 89.558 pessoas se declararam pardas em Teixeira de Freitas, do total de 145.216 habitantes do município. Outros 33.054 moradores se declaram brancos, 21.638 são pretos, 630 são indígenas e 333 são amarelos (orientais).

Os dados sobre a população por recorte de Cor ou Raça, de acordo com o Censo Demográfico de 2022, foram divulgados na sexta-feira (22) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Com relação ao Censo de 2010, a predominância de cor em Teixeira de Freitas se manteve entre pardos (83.105 em 2010), brancos (38.042) e pretos (14.787). No entanto, há 12 anos, havia mais pessoas de cor amarela (1.583) no município do que as declaradas indígenas (824).

 

Dados na Bahia

Já a população baiana, revelou-se mais uma vez composta predominantemente por pessoas que se autodeclaram pretas ou pardas, somando 79,7% dos 14,1 milhões de habitantes. A estimativa é maior do que o percentual encontrado em 2010 (76,3%). Entre os dois últimos censos, houve uma redução da população autodeclarada branca, de 22,2% para 19,6%, também uma redução da população autodeclarada parda, de 59,2% para 57,3%, ao tempo em que houve ampliação da população preta, de 17,1% para 22,4%.

Os indígenas passaram de 0,4% para 0,6%; e os amarelos passaram de 1,1% para 0,1%.

Segundo o IBGE, os números colocam a Bahia como o estado com a maior concentração de pretos do Brasil (22,4%), seguido por unidades de outras regiões, como Rio de Janeiro (16,2%) e Tocantins (13,2%).

 

Dados no Brasil

No Brasil, em 2022, cerca de 92,1 milhões de pessoas se declararam pardas, o equivalente a 45,3% da população do país. Desde 1991, esse contingente não superava a população branca, que chegou a 88,2 milhões (ou 43,5% da população do país). Outras 20,6 milhões se declaram pretas (10,2%), enquanto 1,7 milhões se declararam indígenas (0,8%) e 850,1 mil se declaram amarelas (0,4%).

Em relação a 2010, a população preta aumentou 42,3% e sua proporção no total da população subiu de 7,6% para 10,2%. A população parda cresceu 11,9% e sua proporção na população do país subiu de 43,1% para 45,3%. Houve, ainda, aumento de 89% da população indígena, com sua participação subindo de 0,5% para 0,8%.

A participação da população branca recuou de 47,7% em 2010 para 43,5% em 2022. Já a população amarela teve uma forte redução (-59,2%) e sua participação recuou de 1,1% para 0,4%, retornando a patamares de 1991 e 2000.

Compartilhe nas redes sociais:

Leia mais

Nova Viçosa
20240229_101412
20240229_124054
ameacando-parlamentares-780x470
INFOCHPDPICT000073512255
Jeronimo_Rodrigues_Revista_Nova_Bahia
20240228_091611
rs42268_gp0stts2p_pressmedia-lpr
1_celia_e_sonia-35216099
mendonca
Lula-PPA-19-04-23-848x477
LPG_Bahia_27-09-23