O Povo News

27 de maio Dia da Mata Atlântica

A Mata Atlântica é composta por formações florestais nativas (Floresta Ombrófila Densa; Floresta Ombrófila Mista, também denominada de Mata de Araucárias; Floresta Ombrófila Aberta; Floresta Estacional Semidecidual; e Floresta Estacional Decidual), e ecossistemas associados (manguezais, vegetações de restingas, campos…).

A Mata Atlântica passa pelos territórios dos estados do Espírito Santo, Rio de Janeiro e Santa Catarina, e parte do território do estado de Alagoas, Bahia, Goiás, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, São Paulo e Sergipe.

Grande parte da vegetação da Mata Atlântica foi destruída devido à exploração intensiva e desordenada da floresta. O pau-brasil foi o principal alvo de extração e exportação dos exploradores que colonizaram a região e hoje está quase extinto.

Essa vegetação se caracteriza por espécies de árvores mais altas, com suas copas mais próximas umas das outras, formando um dossel que controla a quantidade de luz que irá atingir as árvores e as vegetações mais baixas.

Mata Atlântica é um conjunto de formações florestais densa e fechada que corresponde a mais de 10% do território brasileiro. Nesse sentido, Mata Atlântica é o nome dado à floresta tropical que se distribui em segmentos do litoral aos planaltos e serras.

A principal ameaça à Mata Atlântica ainda é o desmatamento. O que a gente observa é perda de biodiversidade, uma grande parcela das espécies ameaçadas de extinção. Isso é muito emblemático.

A Mata Atlântica é um dos biomas mais biodiversos do mundo e tem extrema importância ambiental para a regulação do clima e do abastecimento de água na região e arredores.

“A Mata Atlântica é um bioma, composto por diferentes formações vegetais e ecossistemas associados, que se destaca por sua grande biodiversidade, incluindo, por exemplo, várias espécies endêmicas (que ocorrem apenas nessa região). Hoje, devido a uma série de fatores, que incluem, por exemplo, a atividade humana, restam, segundo a Fundação SOS Mata Atlântica, apenas 12,4% da floresta que existia originalmente.”

“A Mata Atlântica é um bioma que cobria uma área de 15% do território brasileiro, área essa que incluía os estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Sergipe. Originalmente, o referido bioma cobria uma área superior a 1,3 milhões de km2.”

“A Mata Atlântica é constituída de formações florestais nativas e ecossistemas associados. De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, entre as formações florestais que fazem parte da Mata Atlântica, podemos citar:

Floresta Ombrófila Densa;

Floresta Ombrófila Mista, também denominada de Mata de Araucárias;

Floresta Ombrófila Aberta;

Floresta Estacional Semidecidual;

Floresta Estacional Decidual.

Já os ecossistemas associados são:

manguezais;

vegetações de restingas;

campos de altitude;

brejos interioranos;

encraves florestais do Nordeste.

Quanto resta da Mata Atlântica?

De acordo com a Fundação SOS Mata Atlântica, atualmente, restam apenas 12,4% da floresta que existia originalmente, e, desses remanescentes, cerca de 80% estão localizados em áreas privadas. Os 12,4% de floresta original correspondem a todos os fragmentos de floresta nativa acima de três hectares. Atualmente, os remanescentes florestais são muito fragmentados.”

“Segundo o Ministério do Meio Ambiente, atualmente, são encontradas cerca de 29% de cobertura original quando considerados os diferentes estágios de regeneração das fitofisionomias. Vale destacar que os dados sobre a cobertura vegetal podem variar de acordo com o autor e com a metodologia que foi escolhida para esse cálculo.”

“Fauna e flora da Mata Atlântica

A Mata Atlântica caracteriza-se por sua grande biodiversidade, devido, principalmente, às variações ambientais do bioma. Essas variações acontecem devido à extensão da Mata Atlântica em latitude, longitude e a variações altitudinais. Estima-se que a biodiversidade da Mata Atlântica corresponda de 1% a 8% da biodiversidade mundial.

Segundo dados do Ministério do Meio Ambiente, encontramos na Mata Atlântica cerca de:

20 mil espécies de vegetais;

850 espécies de aves;

370 espécies de anfíbios;

200 espécies de répteis;

270 espécies de mamíferos;

350 espécies de peixes.

Uma das espécies mais conhecidas de animais da Mata Atlântica é, sem dúvidas, o mico-leão-dourado (Leontopithecus rosalia), espécie hoje considerada símbolo desse bioma. Essa espécie é endêmica e podia ser encontrada, originalmente, em toda a região costeira do Rio de Janeiro e sul do Espirito Santo.

Além do mico-leão-dourado, podemos citar, como espécies de animais da Mata Atlântica: sapo-pingo-de-ouro; porco-do-mato; macaco-guicó; pintor-verdadeiro; macuco; onça-pintada; harpia; tucano; papagaio-de-cara-roxa; muriqui; e sabiá-laranjeira.”

“No que diz repeito às espécies vegetais, não podemos deixar de citar o pau-brasil (Caesalpinia echinata), que deu nome ao nosso país. Além do pau-brasil, na Mata Atlântica encontramos várias espécies de bromélias, orquídeas, samambaias, a araucária e o palmito-juçara.

Importância da Mata Atlântica

A Mata Atlântica é extremamente importante tanto economicamente, quanto ecologicamente. As formações florestais encontradas na Mata Atlântica ajudam, por exemplo, na regulação do clima e proteção do solo. Não podemos esquecermo-nos ainda de que sete das nove maiores bacias hidrográficas brasileiras estão na Mata Atlântica, e a vegetação preservada protege rios e nascentes, garantindo, desse modo, o abastecimento de água para a população.

Nesse bioma, encontramos também uma grade variedade de espécies animais e vegetais que possui diversas aplicações econômicas. Várias espécies são usadas na alimentação, para obtenção de madeira e como matéria-prima para a fabricação de medicamentos e cosméticos. Infelizmente, o uso descontrolado da biodiversidade da Mata Atlântica tem causado grande destruição desse importante bioma.”

“Degradação da Mata Atlântica

Dentre as ações antrópicas prejudiciais realizadas contra esse bioma, podemos destacar: o desmatamento com a finalidade de criar áreas propícias para a agricultura e pecuária; a exploração exagerada dos recursos desse local; e a expansão urbana. No que diz respeito à exploração dos recursos, muitas áreas de Mata Atlântica, por exemplo, foram e são atualmente destruídas com a finalidade de extração de madeira.

Além do desmatamento, a biodiversidade é também ameaçada de outras formas, como por meio da caça de animais, da pesca predatória e do tráfico ilegal de plantas e animais nativos da região. Não podemos deixar de citar, ainda, o turismo desordenado que acaba prejudicando esse biomas por causar danos ao meio ambiente, por exemplo, poluindo o local.”

“Curiosidades sobre a Mata Atlântica”

“A Mata Atlântica é um bioma protegido por lei. A Lei nº 11.428/2006 dispõe sobre a utilização e proteção da vegetação nativa do bioma Mata Atlântica, e dá outras providências.

A Mata Atlântica foi o primeiro bioma a ser explorado durante a colonização.

O 27 de maio é comemorado como o Dia Nacional da Mata Atlântica.

Na Mata Atlântica existem cerca de 20 mil espécies vegetais, o que corresponde a, aproximadamente, 35% das espécies brasileiras.

A Mata Atlântica é um hotspot, ou seja, uma área do planeta rica em biodiversidade, mas altamente ameaçada.

Na Mata Atlântica, de acordo com dados do IBGE, vivem quase 72% da população brasileira.”

Compartilhe nas redes sociais:

Leia mais

juscelino-filho-uniao-brasil-ma_1_82974
prf-monitora-as-rodovias-federais-1789180-article
aa7da61b146be195665538d8fb64aed8
Capturar
BMC-HOJE-23-1140x597-1-750x375
IMG-20240617-WA0177
Imagem do WhatsApp de 2024-06-16 à(s) 11.07
desertificacao-1
Sessão para eleição dos membros da mesa diretora da Câmara dos Deputados
Plataforma-P-55-da-Petrobras-no-Campo-de-Roncador-Foto-Divulgacao
cerveja-bebida-alcool
Imagem do WhatsApp de 2024-06-13 à(s) 11.07