Pai e filha mortos são parentes de suspeito de matar sargento da PM

 

Pai e filha mortos a tiros dentro de casa no distrito de Pindorama, em Porto Seguro, na manhã do último sábado (3), são parentes de um dos suspeitos de envolvimento da morte do sargento da Polícia Militar Françual Manoel Santos, de 48 anos.

As vítimas, Gilberto Costa Pinto, de 49 anos, e Mariana Moreira Costa, de 21 anos, eram pai e irmã de Pedro Vinícius dos Santos, 22, de apelido “Bochecha”, que é procurado pela morte do policial. A Polícia Civil ainda investiga a autoria e motivação do crime.

Segundo informações preliminares da PM, homens encapuzados invadiram a casa de Gilberto e Mariana, procuraram por um parente das vítimas que seriam de uma facção rival, e, como não acharam, se vingaram dos dois.

Além de Pedro Vinícius dos Santos, Bruno Conceição da Souza, 20 anos, conhecido como “Sherek”, também é procurado pela morte do sargento.

Outros dois suspeitos de matar o PM foram mortos em confrontos com a polícia. O suspeito Carlos Andrade de Jesus Chagas morreu no primeiro confronto com a polícia, que também resultou na morte do sargento.

Na noite de sábado (3), um novo confronto, desta vez envolvendo policiais da Companhia Independente de Policiamento Especializado/ Mata Atlântica e o 8ª Batalhão da PM (Porto Seguro), também resultou na morte do suspeito Vilson Sacramento Oliveira, 23 anos.

Morte

Uma câmera de segurança registrou a troca de tiros que deixou o sargento da PM Françual Manoel Santos, o suspeito Carlos Andrade de Jesus Chagas, mortos, na cidade de Eunápolis.

Nas imagens, é possível ver o momento em que a viatura onde o sargento estava intercepta o carro com o suspeito e os três comparsas dele. Em seguida, Françual Santos desce e aborda os criminosos, que saem do veículo atirando. É possível ver o momento em que o PM é baleado. Logo depois, parte dos suspeitos fogem do local.

O corpo de Françual foi enterrado na tarde de domingo (4), na cidade de Itagimirim, onde ele morava.

foto3

Compartilhe:

Deixe seu comentário


Veja mais


O POVO NEWS

Fale com a gente